segunda-feira, 15 de abril de 2013

A Mala de Tecidos

"Sentimos saudade de certos momentos da nossa vida e de certas pessoas que passaram por ela." Carlos Drummond de Andrade

A partir de hoje esta mala será muito bem aproveitada, herança da minha tia avó, Romana Lemos de Andrade, mais carinhosamente chamada de tia Luizinha, uma mulher forte, determinada e muito a frente da sua época.
Dela recebi lições de vida, tenho muitas e boas lembranças, a ela dedico o meu carinho, amor e saudade.



2 comentários:

Ana C. disse...

Objetos de memória sempre têm uma importância sentimental na vida da gente. E quando o ressignificamos, damos a eles novas funções, o planeta a gradece, a casa fica msis bonita, e a memória renasce e o coração fica feliz.

Lu, Lurdinha - do Amaral Sousa disse...

É tão bom olhar pra ela cheinha de panos, de planos... E cheia de Tia Luizinha.